Bem vindo ao Blog de Ornitologia e Birdwatching da ONG MAE!

SEJA BEM VINDO!

Se você é ornitólogo profissional ou amador, ou um simples amante da natureza em especial da avifauna, este é o seu Blog. De agora em diante serão postadas novidades, notícias e informações interessantes obtidas através das pesquisas e atividades realizadas pela ONG MAE - Meio Ambiente Equilibrado, sobre a avifauna brasileira.

domingo, 28 de julho de 2013

Como escolher um bom gravador para observação de aves

     Como a postagem anterior referia-se às técnicas de playback, achamos interessante fazer uma nova postagem para auxiliar aqueles que buscam iniciar-se ou aperfeiçoar-se na arte de gravar as vozes de nossos amigos penosos. Aqui explicaremos e indicaremos no que se deve estar atento para a compra de um Gravador para aves.
     Primeiramente, é interessante lembrar que o som é emitido e se propaga em forma de ondas, e essas ondas têm determinadas frequências que são medidas em Hertz (Hz). Esta unidade de medida refere-se ao número de vibrações ou oscilações da onda sonora por segundo, ou seja, uma onda de 400Hz vibra 400 vezes por segundo. A voz humana por exemplo, não costuma ultrapassar os 6000Hz de frequência independente do gênero (homem ou mulher).
      Uma ave com vocalização aguda e estridente emite ondas sonoras com alta frequência (p.ex. 15000Hz), já aves com vocalização mais grave e suave emitem ondas sonoras de baixa frequência (p.ex. 300Hz). Logo, se você pretende gravar qualquer uma destas aves hipotéticas, o seu gravador deve ser capaz de captar uma gama de ondas sonoras que englobe as duas frequências citadas. 
     Para esclarecer, se você compra um gravador cuja gama de frequências captadas é de 70Hz a 6000Hz, você conseguirá captar apenas o som da ave de vocalização mais grave (300hz), enquanto a de vocalização aguda (15000Hz) passará despercebida pelo aparelho. Agora se você comprou um gravador cuja gama de frequências é de 400Hz a 17000Hz acontecerá o contrário, e o aparelho captará apenas o som agudo, enquanto o grave passará despercebido.
      Esta questão das frequências que o gravador consegue captar, é primordial para que você ao menos consiga o registro das espécies, no entanto, ela não é garantia de que a qualidade da gravação seja boa. Você pode gravar uma ave com canto mais grave em um gravador que vai apenas até 6000hz, e ela ficar mais nítida do que uma gravação de uma outra ave de canto agudo captada por um gravador que capta até 15000hz. E o contrário também pode acontecer.
        Uma das características que resulta nesta diferença, é o formato da mídia que será gravada, e isto varia obviamente entre um gravador e outro.
         Existem gravadores de vários tipos... como os antiquíssimos gravadores "portáteis" de rolo:
os populares gravadores de micro-fita cassete:
gravadores de fita cassete portáteis e não tão portáteis assim:


e os gravadores digitais profissionais e super compactos:


           Mesmo com tanta variedade de gravadores, dá pra simplificar bastante a análise.
     As chances de você encontrar um gravador de Rolo portátil funcionando, e ter disposição para carregar um destes durante sua passarinhada (especialmente se você não é profissional da área), são reduzidas, então de cara podemos descarta-los das possibilidades.
     Então fiquemos entre os gravadores de fita, micro-fita e digitais.
     Os gravadores de fita ou micro-fita, mesmo que apresentem uma vasta gama de frequências (p.ex. o aclamado Sony TCM-5000EV e sua invejável gama de 90-90000hz) dependem muito da qualidade da fita em si para que as gravações sejam feitas com menos ruído e/ou mais fiéis. Trocando em miúdos, não adianta utilizar um TCM-5000EV com uma fita de baixa qualidade. A maior diferença entre as fitas cassete comuns, e as micro-fitas cassete - além do tamanho físico é claro - é o tempo de gravação de cada uma. As comuns foram popularizadas com os modelos de 60 minutos (30 de cada lado da fita), enquanto as micro-fitas gravam apenas 30 minutos (15 de cada lado). Se você é um gravador ocasional, esta diferença de tempo pode não representar um incômodo, mas se você é um profissional da bioacústica esteja preparado para carregar algumas "fitinhas". Como esperado, as fitas cassete passaram por um longo processo de aperfeiçoamento, em busca de uma composição da fita magnética que fosse mais resistente ao tempo e às constantes gravações e regravações (quem usou fitas sabe bem o que é gravar e apagar as fitas para que sejam reaproveitadas). O ápice desta evolução são as fitas IEC Type IV, também conhecidas como fitas "Metal", que eram consequentemente, mais caras que as IEC Type I, II e III.
     Mas ainda haviam outras táticas para melhorar ainda mais a qualidade das gravações nas fitas Cassete, e uma delas era aumentar a velocidade de gravação.
     Como assim?
     A grosso modo, uma fita de 60 minutos, seria utilizada para gravar apenas 30 minutos no mesmo espaço, utilizando uma velocidade de gravação de 2x. Ou seja, se para 20 segundos de gravação, numa velocidade normal seriam utilizados 30 centímetros da fita, em velocidade duplicada seriam utilizados 60 centímetros da mesma fita.
      E como isto melhora a qualidade?
      É uma questão de resolução, e podemos usar o exemplo de um quadro. Um pintor retratista consegue reproduzir mais detalhes da pessoa em uma tela do tamanho de um cartão de visitas, ou em uma tela do tamanho de uma cartolina? Funciona mais ou menos assim com o som, se você oferece mais espaço para gravar uma mesma faixa, mais detalhes serão reproduzidos.
      Agora a pergunta fatídica: Compensa investir num gravador de fita em plena era digital?
      Eu diria: Talvez.
      Se você herdou de seu pai ou avô, um gravador de fita profissional, com especificações maravilhosas, e com fitas de boa qualidade, dá pra usar sem medo. As gravações ficarão ótimas, e é possível você digitaliza-las posteriormente com um computador munido de uma boa placa de som, com um bom software, para não perder a fidelidade das gravações.
      Agora se você não herdou, e pretende adquirir um, a não ser que a oferta seja irrecusável, acho que você não iria querer carregar um monte de fitas pra cima e pra baixo, além do próprio gravador grande e pesado, por um preço até hoje salgado (mesmo os usados) e ainda ter que correr atrás de fitas cassete Metal, que estão cada vez mais raras no mercado.
       Um fator, que pra mim é decisivo na opção por não usar gravadores de fita, é a dificuldade de ficar rebobinando a fita para conferir a gravação, mesmo naqueles gravadores com marcador de tempo. É um tanto chato ficar alternando entre os botões RW e FF até encontrar o ponto da gravação. Sem contar a chance de você rebobinar demais a fita sem querer, e sobrepor suas gravações com outras.
       Por fim, antes tarde do que nunca, vamos aos gravadores digitais.
      Como o próprio nome diz, são gravadores que utilizam midias digitais para gravação, seja uma memória flash interna, ou cartão de memória, ou mesmo pen drive. As vantagens dos gravadores digitais de modo geral são: tamanho reduzido, alta capacidade de tempo de gravação (não é difícil encontrar modelos que gravam até 48 horas utilizando apenas a memória interna). E mesmo que o gravador não tenha uma mémoria interna generosa, se ele tiver entrada para cartão de memória, é muito mais fácil carregar alguns cartões no bolso, do que algumas fitas cassete. Já a desvantagem vai de encontro com a de qualquer outro produto, o barato pode sair caro.
      Novamente, é importantíssimo estar atento às especificações técnicas do gravador. A gama de frequência continua sendo uma das principais características a serem consideradas, e para que um gravador seja efetivo no mundo ornitológico, esta gama de frequencia deve ser a mais abrangente possivel. Costumo dizer que se existisse um gravador que captasse de 1hz até 100000hz seria perfeito, mas o mínimo para um gravador digital de qualidade é algo em torno de 70 - 15000hz, e conforme as medidas vão além deste padrão para os dois lados (de 70 ou menos, até 15000 ou mais), melhor a capacidade e fidelidade de graves e agudos.
       Outra especificação que devemos estar atentos, é a taxa de amostragem (sampling rate) do gravador. A taxa de amostragem mínima dos aparelhos de boa qualidade, é de 44.1khz, e também são os mais comuns. Outros valores razoavelmente comuns são de 48khz e 96khz, obviamente, refletem no preço do aparelho. Para fins de comparação, o que há de mais avançado (das tecnologias já difundidas para todos) em qualidade de som, são os discos de audio DVD e Blu-ray, com capacidade de gravação e reprodução de 192khz. Quanto maior a taxa de amostragem, maior a qualidade de som, e maior o preço do aparelho.
      E por fim, para não alongar ainda mais o texto, a taxa de bits (bit rate) do gravador. Quem nunca encontrou a mesma música em mp3, com qualidade e tamanho de arquivos completamente diferentes? É aí que entra a taxa de bits, ou como representados no mundo digital, o valor de kbps. Uma música codificada num arquivo de 128kbps, terá uma clareza sonora menor do que a mesma música codificada num arquivo de 320kbps. E como esperado, o arquivo com 320kbps será muito maior do que o com 128kbps. Novamente aquela relação "tamanho-qualidade". Se seu gravador disponibiliza mais kbps para uma gravação, ele conseguirá reproduzir mais detalhadamente a mesma. O recomendado é que se busque gravadores com bit rate de no mínimo 128kbps, para que (aliado às outras especificações já faladas) o gravador consiga captar uma réplica aceitável de qualquer emissão sonora.
        Há ainda outras características a serem analisadas num gravador digital? Com certeza, se você for buscar tudo, ficará um bom tempo pesquisando, como por exemplo se ele oferece conexão USB para computadores. Parece absurdo mas o meu primeiro gravador digital não tinha conexão USB, e eu tinha que passar as gravações para o PC como se fosse um gravador de fita, reproduzindo faixa por faixa e gravando num software específico.
           Bom, apesar de longo, espero que o texto seja um pouco esclarecedor e auxilie todos na escolha de um bom gravador. E gostaria de pedir para quem não leu, que conferisse a postagem sobre até onde podemos ir com o uso de Playback na observação de aves (http://ornitologiamae.blogspot.com.br/2013/02/tecnica-de-playback-na-observacao-de.html). Afinal, se você adquire um gravador, uma das funções dele é criar seu próprio banco de dados sonoro, cuja utilização pode ir das pesquisas de bioacustica, venda de trilhas sonoras, uso como toque de celular, ou como acervo de playback para uma "passarinhada".

29 comentários:

  1. Olá! Gostei muito do texto, e foi muito útil para mim. Estou estudando o que avaliar em um gravador para compra, e este texto foi direto ao ponto. Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado pelo feedback Sérgio!
      Abração!

      Excluir
  2. Olá, excelente texto me ajudou muito. Porem eu tenho uma duvida, em razão de usar microfones ligados no gravador, vale a pena?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, recomenda-se o uso de telefones Direcionais (shotgun), que reduzem a captação de som ambiente, dando ênfase ao bicho em si que você está gravando.
      Importante lembrar que muitas vezes o microfone direcional não atende as necessidades de captação em Hertz (Hz), mas recomenda-se aqueles que cheguem pelo menos aos 16kHz. E observar se o seu gravador consegue captar tal frequencia.
      O equipamento que uso, o gravador capta até 20kHz, e o microfone 16kHz, ou seja, o microfone tem menor gama de Hertz, mas amplia o alcance do gravador.
      Se meu gravador fosse mais simples e alcançasse apenas 6kHz, o microfone "sobraria" e não captaria com tanta qualidade.

      Excluir
  3. Você tem um kit pronto que poderia indicar gravador mais microfone direcional?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Varia de quanto você quer gastar.
      Se até uns 500 reais no kit todo, recomendo um gravador digital da Sony, modelo ICD (pode ser ICD PX, BX... tem que ver qual está em linha de produção), e um microfone bom e barato, é o Yoga HT-81 ou Ht-320 (um pouco menor que o 81).
      Eu particularmente uso um ICD-PX820 + Microfone Yoga-HT820, que pra mim satisfazem pro que eu preciso. Quem quer trabalhar com Sonogramas, ai precisa de um gravador melhor, que grave em WAV (ao invés de MP3), mas que costumam ser bem mais caros. Se dinheiro não for problema, recomendo um gravadores Marantz, Zoom, ou Tascam que tem modelos que vão de 500 a 5000 reais. E pra parear legal com estes gravadores, um microfone Senheiser ME-66 ou outro semelhante.

      Excluir
    2. Boa tarde! E qual seria a diferença entre esse aparelho que voce usa px 820 e o mesmo modelo mas px 440?

      Excluir
    3. O 440 tem 4gb de memória, e aceita cartão de memória pra expandir ainda mais. No entanto a qualidade de gravação dele fica limitada a no máximo 128 kbps, e a captação atinge 17khz.
      O 820, tem 2gb de memória, não aceita cartão, qualidade de gravação vai até 192kbps, e a captação chega a 20khz.

      Excluir
    4. E só complementando, ambos são limitados a 5 pastas com 99 gravações, e o tamanho das gravações que vai dizer o quanto de memória você precisa.
      Eu nunca consegui chegar nem perto de usar os 2gb do meu 820, então não se impressione muito com diferenças em quantidade de GB, a não ser que você queira deixar o gravador monitorando por horas e horas um determinado local, mas dai nenhum destes gravadores atenderia a expectativa, por não ter resistencia a água (chuvas), e não terem controle de ganho pra você aumentar o alcance do gravador.

      Excluir
  4. Você tem um kit pronto que poderia indicar gravador mais microfone direcional?

    ResponderExcluir
  5. Não sei se alguém ainda irá visualizar este tópico, mas encontrei e gostei bastante das informações e estou em busca de um gravador para iniciar as gravações de cantos de aves, mas gostaria de comprar já algum muito bom que eu não tenha que gastar novamente daqui uns dois anos por exemplo. Achei uns Olympus VN 6200, alguém conhece? sabe me dizer algo? e também tenho um tio que esta nos EUA, pensei em pedir para trazer pra mim, me indicariam algum, que possa ser mais barato la? até cheguei a procurar no site do amazon, mas não sei qual procurar...
    desde já agradeço, se puderem contactar por email para ajudar:
    rapvfd@gmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não recomendaria este gravador, como dito na postagem, devemos estar atentos à gama de frequencia em Hertz (Hz) que o gravador consegue captar.
      No caso, este Olympus alcança um máximo de 13000Hz, o que não é mal, mas existem muitos outros gravadores inclusive mais baratos, com capacidades de pelo menos 20000Hz.
      Obviamente nem todas as aves ultrapassam essa frequencia de 13Khz com facilidade, mas uma grande parte delas consegue, especialmente Trochilidae e Thraupidae, apenas para citar alguns.
      Se gosta da marca Olympus, recomendo que busque um modelo com maior capacidade de captação.
      Se você quer gravar para estudar Sonogramas, procure gravadores que salvem em WAV o arquivo, onde a compressão é quase nula. Gravadores em MP3 podem cortar algumas frequencias secundárias do canto, que para uma análise mais profunda por sonogramas acabam não servindo.
      Se sua intenção é apenas gravação pra Playback, os de MP3 de boa qualidade (192kbps ou mais) dão conta do recado sem problemas.
      E lembrando que se optar por gravadores WAV, esteja atento a capacidade de memória, ou se ele aceita cartão SD. Arquivos WAV costumam ser em torno de 10x maiores do que os em MP3. Não é raro uma única gravação em WAV atingir 50 mb, o que demanda mais memória do que um MP3.

      Excluir
  6. amigo parabéns pela matéria gostei muito Eu estava prestes a comprar um aparelho gravador digital Zoom h-6 e Desisti depois que eu vi essa matéria eu gostaria de saber se esse aparelho atende a minha necessidade para gravar passa dos calouros sou de Macapá um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lucival
      Primeiramente obrigado pelo acesso e comentário.
      O gravador H-6 da Zoom é um excelente gravador, porém, é bem complicado de mexer, são muitas regulagens, controle de ganho, de redução de ruido, entre tantos outros comandos.
      Se não tiver problemas com "manuais extensos" pode comprar sem medo.
      Eu diria que dependendo do que você quer, se é mais para uso amador, não necessitaria de um tão potente, no entanto, se o preço está acessível pra você, compre sem medo.
      Mas lembrando, vai ser bem complicado de mexer, especialmente se quiser usufruir de tudo que ele oferece.
      Muita gente compra gravadores deste nível, e acaba usando só o modo "automatico" dele, o que já gera gravações excelentes. Mas, eu acho que se tem um gravador com potencial de controlar praticamente tudo, você não deve ficar restrito ao modo automático.
      Se investe assim, aprenda a usar tudo, caso contrário será como comprar uma câmera D-SLR pra ficar tirando Selfie. kkkkk
      Abraço

      Excluir
  7. Digo: gravar canto de pássaros canoros.

    ResponderExcluir
  8. Digo: gravar canto de pássaros canoros.

    ResponderExcluir
  9. amigo parabéns pela matéria gostei muito Eu estava prestes a comprar um aparelho gravador digital Zoom h-6 e Desisti depois que eu vi essa matéria eu gostaria de saber se esse aparelho atende a minha necessidade para gravar passa dos calouros sou de Macapá um abraço

    ResponderExcluir
  10. Excelente artigo!Grato por compartilhar sua experiência pessoais os seus conhecimentos.

    ResponderExcluir
  11. Muito bom. Amigo,levando em consideração a forma como as ondas sonoras se propagam, qual a melhor posição do aparelho em relação ao pássaro? Acima ou abaixo do plano em que se encontra a gaiola? Abraço. Lucival

    ResponderExcluir
  12. Muito bom. Amigo,levando em consideração a forma como as ondas sonoras se propagam, qual a melhor posição do aparelho em relação ao pássaro? Acima ou abaixo do plano em que se encontra a gaiola? Abraço. Lucival

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lucival
      Primeiramente devo dizer que não encorajamos qualquer forma de cativeiro, a não ser os de cunho conservacionista.
      Sobre sua dúvida quanto a gravação, pensando na ressonância e interação com entorno, as melhores condições de gravação de aves, são quando elas estão cantando próximas a você, num galho acima de você, onde o fundo seja o Céu, e você esteja usando um microfone direcional ou uma parábola.
      O Céu como fundo, vai impedir que sons de entorno "reflitam", como acontece com gravações de aves próximas ao solo por exemplo, onde o som ambiente reflete no solo e é captado pelo seu microfone.
      Se a ave está acima de você, e atrás dela apenas o céu, o seu gravador estará apontado para ela, e a unica fonte de som significativa será a ave, já que não haverão sons sendo refletidos.
      Obviamente, utilizar um microfone direcional, que elimina a captação de sons de entorno, é essencial.

      Excluir
  13. Olá Renan, tudo bem? Estou pensando em comprar um Tascam DR-22WL. Qual sua opinião sobre este aparelho. Vou utilizar para gravar sons de aves e utilizar como play-back. Desde já agradeço. Abraços!! Bianco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Carlos
      É um gravador excelente, sem dúvidas.
      Você tem experiência com gravação avançada?
      Pois o destaque deste gravador são os controles avançados, como controle de ganho da gravação (que aumenta consideravelmente a sensibilidade de captação mas também aumenta o ruido), e alguns filtros que podem ser ativados.
      Creio que deva ter um modo "automatico" daqueles só aperte e grave, sem crise, mas acho legal aprofundar um pouco nestes extras do gravador, com certeza fará ótimas gravações.
      O microfone embutido dele, é um Condensador, ou seja, é pra pegar som ambiente, para gravações de aves é legal acoplar um microfone Direcional Super ou Hiper Cardioide, que "foca" melhor a captação apenas onde a ave está.
      Usando o microfone embutido, captará muito bem a ave, mas também os sons ambientes.
      Espero ter ajudado.

      Excluir
  14. Tenho uma dúvida, o Tascam DR-22 WL conecta sem fio com as caixas de som JBL ou simaleres?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que não, pelo que entendi a conexão wireless desse gravador é por WiFi e não por Bluetooth. Normalmente as caixa de som sem fio se conectam por Bluetooth, então não daria certo para reproduzir sons do gravador direto na caixa, a não ser que use cabo p2.

      Excluir
    2. Não conecta com a caixa de som via bluetooth. O wirelles deste modelo serve apenas para recepcionar algo gravado pelo seu celular por exemplo.

      Excluir